bagagem, dicas de viagens, viagens

Mala: dicas para carregar só o essencial.

Cabe mais alguma coisa aí?

Quando a gente pensa em viajar, a última coisa que pensamos é na arrumação da mala. Pelo menos eu sou assim rs. Normalmente a gente avalia a temperatura do destino, quantos dias iremos ficar e aí vamos colocando uma quantidade absurda de roupas, sapatos e itens altamente desnecessários e que só servem para nos fazer carregar mais peso.

Isso é normal, eu também já fui assim, até comprar uma mochila de 50 litros e decidir que independente do destino ou a duração da viagem, é com essa mala que eu irei viajar. E foi assim que passei 25 dias entre Tailândia e Vietnam (com conexões em Pequim e Frankfurt e um frio de 0 graus), 10 dias no Peru, 21 dias na Europa, 1 semana em Salvador e o final de semana na casa dos meus pais. Olhando de fora parece pouco, ainda mais quando eu digo que geralmente saio do Brasil com 6 ou 7 kg e volto com menos de 10 kg. Mas o que eu posso dizer de mais valioso é que adotar esse tipo de bagagem me tornou bem mais desapegada.

Minha mochila queriiiida ❤

Acontece que sempre que eu viajava com mala grande e despachada, eu levava roupas que eu achava que iria usar em diversas ocasiões, por acreditar que viajar era meio que um evento na minha vida. Não que viajar não seja um evento afinal, não é toda hora que eu largo tudo e vou passar quase um mês na Ásia, mas eu compreendi o sentido de estar em um local diferente, conhecendo de fato outra cultura e querendo aproveitar ao máximo dessa experiência. E fui prestando mais atenção naquilo que eu usava de fato, nas roupas que eu lavava para usar novamente enquanto tinhas tantas outras na mala. E assim eu percebi que eu não precisava mais carregar tanto peso na mala, mas sim na memória (fui profunda agora rs).

Fora que ultimamente, várias companhias aéreas tem restringido muito não só a quantidade de malas, mas também o peso e tamanho. Algumas vendem a tarifa mais barata incluindo somente bagagem de mão.

Em diversos locais você pode lavar suas roupas tanto dentro de hostels, apartamentos ou hotéis. Eu mesma sempre lavo blusinhas, calcinhas e meias. Calça/short jeans é mais difícil, então se a estadia for longa, eu apelo para lavanderias, que não costumam ser tão caras.

Depois que eu passei a entender que eu sou uma cidadã do mundo, estou em determinada cidade para explora-la, percorrer cada cantinho, me encantar e experimentar de sua gastronomia e hospitalidade, eu comecei a enxergar o abacaxi que eu estava descascando a cada viagem, toda vez que eu tinha que arrumar minha mala.

Muito peso não está com nada.

Hoje eu penso na praticidade, então busco sempre combinações de roupas que posso fazer inúmera vezes, como um tênis ou sandália que combinam com tudo, um casaco mais pesado e outro mais leve, sendo que o mais pesado eu costumo já ir com ele para não pesar. Eu sempre costumo viajar de calça pois no avião sempre está frio, mesmo se o destino da viagem for quente, o que é melhor pois nesse caso carrego somente roupas menores e as chances de eu conseguir lava-las e elas secarem muito rápido são de praticamente 100%.

Um outro ponto importante são os produtos de higiene pessoal. Eu sempre ficava preocupada com essas “tralhas” que fazem peso e volume, então carregar uma mochila que eu não costumo despachar, fez com que eu diminuísse o tamanho e quantidade desses frascos, já que podemos levar um total de até 1 litro de líquidos distribuídos em potes de até 100ml. Mas mesmo ficando 1 mês fora eu simplesmente abstraí dessa “necessidade” e passei a levar só um frasco de cada (shampoo, condicionador e hidratante), e se acabar? Acabou, vai no supermercado e compra outro, usa o que tem no hotel/airbnb, enfim, isso não é uma preocupação mais para mim e eu me sinto realmente livre por isso.

Aliás, como já disse, além de ter desapegado de muita coisa, passei a apreciar mais os momentos em vez de perder tempo pensando em qual look vou querer usar no dia que eu visitar o Louvre?

Não, esse não é um post encorajando você a jogar todas as suas coisas fora e viver como um eremita. Eu uso sim maquiagem (aliás as carrego comigo em viagens) desodorante, lâmina, etc. O meu foco é carregar somente o necessário, e se acabar, eu não irei me descabelar pois para mim, o mais importante é estar andando por aí, seja nas ladeiras do Pelourinho, de Ouro Preto ou de Praga, o importante é ir.

E independente do seu tipo de mala, pense na hora de arruma-la se os itens escolhidos são realmente indispensáveis. Lembre-se que na maioria das vezes você vai comprar algum souvenir do local que você visita, e isso inclui roupas. Pense que esse souvenir vai ter que caber na sua mala na volta, e quanto mais lugares você visitar, mais espaço vai precisar. Então considere levar o mínimo e utilize o que você comprou como parte da sua bagagem. Produtos de higiene geralmente estão disponíveis em hotéis, apartamentos e em alguns hostels, mas caso contrário, em qualquer supermercado você encontra sabonetes, shampoos, lâmina de barbear, absorventes. E para quem ainda tem muito medo de “faltar algo”, pense que assim como na cidade onde você mora, em tantas outras você pode comprar em lojas locais uma camiseta, um short, biquíni ou roupas de baixo como calcinhas, cuecas e meias.

Mala, mochila ou sacola, o importante é viajar.

Não importa o tipo de mala que você carrega, só não deixe que o excesso de bagagem e peso se tornem uma preocupação e tirem seu foco de aproveitar muito e viajar cada vez mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s